english
IBSP-Acari - Coleção Acarológica do Instituto Butantan
Instituto Butantan
Laboratório de Parasitologia
São Paulo - São Paulo
networkManager

 
 
acervo   [ consultar ]   [ dataCleaning ]
registros:  total
9201
online
3519
georreferenciados
2482
com imagens
0
software
MS-Excel
online desde
14/10/2004
última atualização
27/08/2009
resumo

Histórico: A coleção de ácaros do Instituto Butantan foi iniciada em 1931, no Laboratório de Parasitologia, pelo acarologista Dr. Flávio Oliveira Ribeiro da Fonseca, tendo sido responsável até 1963. Durante esse período, ele deixou uma contribuição de aproximadamente 80.000 exemplares. Além de sua dedicação aos ácaros, Flávio publicou muitos trabalhos nas áreas de protozoologia, entomologia médica e viroses, tendo um papel fundamental na produção de vacina contra a Febre Maculosa produzida no Instituto Até meados dos anos 70. Dentre os vários grupos de Acari, dedicou-se principalmente aos estudos dos ácaros Gamasida (= Mesostigmata), ectoparasitos de pequenos mamíferos silvestres, vetores de zoonoses e antropozoonoses (Fonseca 1932a,b, 1935/1936, 1938/1939, 1948) trabalhando em conjunto com o Serviço Nacional da Peste (Fonseca 1957/1958). Descreveu 4 gêneros e 28 espécies da família Laelapidae, 7 gêneros e 16 espécies de Macronyssidae, 6 espécies de Trombiculidae (Actinedida), 7 espécies de carrapatos (Ixodida) e 2 famílias: Dasyponyssidae e Ixodorhynchidae (Barros-Battesti and Knysak, 1999). Seus estudos, sozinho ou em parceria com Henrique Aragão, resultaram em contribuições valiosas ao conhecimento das espécies de carrapatos que ocorrem no Brasil (Fonseca 1935a,b, Fonseca and Aragão 1952, 1953, Aragão and Fonseca 1952,1953, 1961a,b). Após seu falecimento, a coleção ficou sem manutenção, por falta de um especialista na área no período de 1963 até 1976. Com a admissão da pesquisadora Nélida Margarida Lizaso a coleção foi incluída no acervo do Laboratório de Artrópodes Peçonhentos, permanecendo sob sua responsabilidade de 1976 a 1993. De 1993 até meados de 1995, a coleção ficou novamente sem manutenção. A partir de maio de 1995 até a presente data, a pesquisadora Dra. Darci Moraes Barros Battesti assumiu a curadoria do acervo. Com a reativação do Laboratório de Parasitologia do Instituto Butantan, em fevereiro de 2000, sob a Direção da Dra. Toshie Kawano, a coleção de ácaros retornou ao seu local de origem. Situação atual: No ano de 2001 a coleção de ácaros teve um acréscimo de 397 lotes das ordens Gamasida (com 1900 exemplares) e Ixodida (com 2700 exemplares). Foram ainda incluídos 352 exemplares de Actinedida e 711 de Oribatida. Os métodos de coletas utilizados para a obtenção de ácaros foram: winckler, egletor de tronco e solo, armadilha de gás carbônico (CO2) e armadilhamento de animais silvestres. Além destes, recebemos doações de outros Institutos (UFRRJ, FMVZ-USP, DEPAVE-3, UFAL, ESALQ-USP, INTA, US National Tick Collection), de pesquisadores de outros laboratórios dessa Instituição, de resgate de fauna e material procedente de fornecedores de rotina. Os Actinedida foram mais representados pela subordem Parasitengona e pela família Trombidiidae, sendo mais freqüentemente coletados em batedor do que em egletor de solo e/ou winckler. Já os Oribatida foram mais coletados em egletor de solo e winckler, e a maioria dos exemplares são pertencentes à subordem Nothronata e à família Liodidae. Dentre os Ixodida, a família Ixodidae está representada por 09 gêneros e 75 espécies e Argasidae está representada pelos gêneros: Antricola com 3 espécies novas descritas recentemente (Journal Parasitology, aceito), Argas (n=2) e Ornithodoros (n=12). Todo o material de Ixodida já se encontra digitado em programa Excel. A ordem Gamasida está representada por 16 famílias com 177 espécies e aproximadamente 50.000 exemplares depositados em lâminas e em meio líquido. De Janeiro de 2002 até a presente data, 687 lotes de Acari com cerca de 4000 exemplares foram depositados na coleção acarológica. Dentre os lotes tombados, cerca de 40% são procedentes do Estado de São Paulo e regiões vizinhas. A maior parte do material foi obtida através do projeto biota, por diferentes métodos de coletas tais como, winckler, egletor de tronco, batedor e armadilhamento de solo e mais raramente de animais silvestres. As seguintes ordens foram catalogadas: Actinedida, Oribatida, Gamasida e Ixodida. Recebemos ainda, por intercâmbio, um material da Rússia contendo 21 lotes com 171 espécimens de carrapatos de 21 espécies. Ordem Actinedida - Devido a ausência de especialistas no país (raros no mundo) e a dificuldade de identificação de ácaros da ordem Actinedida, principalmente da subordem Parasitengona, as amostras estão sendo tombadas para posteriormente serem encaminhadas ao Dr. Warren Cal Welbourn (Florida Department of Agriculture and Consumer Services, Division of Plant Industry) que prontamente aceitou nosso convite de colaborar com o projeto Biota na identificação de ácaros dessa ordem. Para o Estado de São Paulo há representantes de 68 espécies de ácaros da ordem Gamasida, com 33 espécies-tipo. Dentre os Ixodida foram catalogados 638 lotes de carrapatos pertencentes às famílias Ixodidae (619 lotes) e Argasidae (19 lotes). Foram constatadas 28 espécies de carrapatos para o Estado, com duas espécies-tipo (Ixodes aragaoi e Amblyomma parkeri). Em meio ao material catalogado, consta uma espécie muito rara, Amblyomma fuscum (Ixodidae), cujos exemplares são procedentes de Iguape, Praia Grande e Cananéia. Uma outra espécie, Ornithodoros talaje (Argasidae), foi coletada recentemente em uma caverna no município de Rio Claro, SP, sendo este o segundo registro para o Estado. O primeiro registro data de 1931 no município de São José do Rio Pardo. Dentre os tipos de Acari das ordens Gamasida e Ixodida depositados na Coleção do Instituto Butantan, estão incluídos parátipos da África, América do Norte e América Central, e tipos do Peru, Bolívia e Argentina. Troca e aquisição de material: A maior parte do material catalogado nos últimos anos é proveniente de coletas, doações e parcerias com outras instituições nacionais (UFRRJ, Museu Capão da Imbuia de Curitiba, Uniban, FMVZ-USP, entre outras) e internacionais (USNTC Statesboro, Georgia, USA; Instituto de Ecologia y Sistemática de Ciudad de Habana; Instituto of Soil Biology, Academy of Sciences of the Czech Republic; Departamento de Parasitología Veterinaria, Facultad de Veterinaria, Universidad de la República, Uruguay; Unidad de Parasitologia, Facultad de Veterinária, Zaragoza, Espanha; Department of Biology, University of Central Arkansas, Conway, AR, USA). Além destas, temos recebido muito material de órgãos públicos (hospitais, Sucen e Centro de Controle de Zoonoses) e fornecedores de rotina, os quais recebem laudos sobre os espécimes ou sua importância em saúde pública. Serviços prestados: Temos como prioridade a formação de recursos humanos através de mestrados e doutorados. Por contermos uma das mais importantes coleções de carrapatos do neotrópico, em Julho do presente ano iniciamos uma ampla formação de especialistas estrangeiros através I Curso Internacional de Taxonomia de Carrapatos da Região Neotropical para países da América Latina e Caribe, cujo projeto surgiu durante um workshop de carrapatos que reuniu pesquisadores do Cone Sul em Fevereiro de 2002 na FMVZ-USP. Público Alvo: Alunos de Graduação e Pós-Graduação, representantes de outras coleções incluindo Museus, pesquisadores nacionais e estrangeiros.

condições para utilização dos dados

Não especificado

como citar

Não especificado

Busca
dataCleaning
email
Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA