english
IAC - Herbário do Instituto Agronômico de Campinas
Instituto Agronômico de Campinas
Centro Experimental Central
Campinas - São Paulo
networkManager

 
 
acervo   [ consultar ]   [ dataCleaning ]
registros:  total
55272
on-line
53561
georreferenciados
46442
com imagens
0
software
MySQL
on-line desde
01/07/2003
última atualização
12/04/2017
resumo

A coleção é formada por representantes do Reino Plantae ("sensu stricto"), nativas, invasoras ou cultivadas, principalmente de São Paulo, Minas Gerais e da Amazônia (Amazonas, Pará, etc.). Foi iniciada em 1935, mas possui exemplares anteriores a 1840. Inclui duplicatas do Museu de Paris e coletas de R.L. Froés, W.A. Ducke, J.M. Pires, G.A. Black, J.C. Novaes, A.P. Viégas, A. Carvalho, J.C. Medina, H.F. Leitão Filho e H.M. Souza entre outros. O acervo do Herbário IAC é o quinto maior do estado e conta com cerca de 55.000 exsicatas, sendo que os materiais-tipo somente agora estão sendo localizados e separados, somando, atualmente, 21 exsicatas. Um diferencial do Herbário IAC é possuir exemplares herborizadas das plantas melhoradas pelo Instituto, como café, arroz, feijão, milho e plantas ornamentais. O Herbário IAC, está registrado no Index Herbariorum (Holmegren et al. 1990), e, fisicamente, está dividido em Coleção Geral, Coleção de Cultivares, Flora do Arboreto Monjolinho, Materiais-Tipo e Flora das Estações Experimentais do IAC. As coleções de cultivares e do Arboreto Monjolinho representam cerca de 15% da coleção do total do Herbário IAC. Aproximadamente 70% do acervo estão representados por plantas nativas, mas conta também com plantas de várias partes do globo (10%) e plantas invasoras de várias famílias (15%). Arecaceae (Palmae), Asteraceae (Compositae), Euphorbiaceae, Fabaceae (Leguminosae), Flacourtiaceae, Myrsinaceae, Myrtaceae, Passifloraceae, Poaceae (Graminae), Rubiaceae e Solanaceae são exemplos de famílias com representação expressiva, no Herbário IAC. Em 1995 foi desenvolvido, pela equipe de computação do IAC, um programa utilizando a linguagem Clipper, que permitiu a informatização parcial do acervo (cerca de 18.000 registros, em DBF). Em 2001, todos os registros informatizados foram recuperados para um banco de dados Access com o objetivo de possibilitar maior agilidade para consultas e maior confiabilidade no registro das informações, o que foi realizado pela analista de sistemas Raquel Lopes. A partir de 2002, quando o Herbário IAC contava com cerca de 20.000 dados informatizados, começou o desenvolvimento de um novo programa, através do qual os dados advindos do banco de dados anterior foram organizados, complementados e padronizados para elaboração de tabelas, utilizadas em caixas de seleção, e inserção no software atual. O sistema foi desenvolvido com as linguagens HTML, ASP, Vbscript e SQL, utilizando-se o banco de dados MySQL, sendo a comunicação WEB ao servidor de dados via fonte ODBC e conta, hoje, com dados de mais de 90% da coleção informatizados. Este programa conta com um módulo de manejo de dados (cadastrar, alterar e excluir) do herbário, intercâmbios de materiais e edição de tabelas (grande grupo, família, gênero, espécie, autor, país, estado, município, coletor, identificador, material-tipo, nome popular, endereços de herbários). O gerenciamento dos dados é feito localmente via navegador, através de IP válido somente para a rede interna, com acesso por senhas hierarquizadas, de modo que somente a senha máster tem acesso a todas as informações e edições de tabelas. A disponibilização de informações parciais dos materiais constantes da coleção de plantas herborizadas é através de consultas em tempo real, via "Internet", através do "site" do IAC, no endereço http://herbario.iac.sp.gov.br/.

condições para utilização dos dados

Citar a fonte

como citar

IAC (Instituto Agronômico). s/d, continuamente atualizado. Herbário IAC On-line. hhttp://herbario.iac.sp.gov.br/. [informar a data da última consulta]

Busca
dataCleaning
email
Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA