english
Fiocruz-CMN - Coleção de Mosquitos Neotropicas
Fundação Oswaldo Cruz
Instituto René Rachou
Belo Horizonte - Minas Gerais
networkManager

 
 
acervo   [ consultar ]   [ dataCleaning ]
registros:  total
39125
on-line
38805
georreferenciados
0
com imagens
0
software
MS-Access
on-line desde
02/06/2014
última atualização
06/04/2015
resumo

A Coleção de Mosquitos Neotropicais do Centro de Pesquisa René Rachou (CMN-Fiocruz) teve início como a Coleção do Laboratório do Serviço de Estudos e Pesquisas sobre a Febre Amarela, em 17 de janeiro de 1933, com as atividades para controle da febre amarela e malária no Brasil, desenvolvidas pelos Serviços de Febre Amarela e de Erradicação da Malária. Ficava depositada no Instituto de Malariologia, em Manguinhos, cidade do Rio de Janeiro. Com a extinção do Instituto de Malariologia (1954) a coleção de culicídeos foi transferida, em 1955, junto com equipamentos e 35 funcionários, para o recém-inaugurado Instituto de Pesquisas de Belo Horizonte. René Guimarães Rachou dirigiu este instituto até 1957, deixando então a Coleção de Culicídeos sob os cuidados de Sebastião Hamilton Xavier e Synésio da Silva Mattos, que foram seus curadores desde 1958 até 1990. Neste ano o Laboratório de Sistemática de Culicídeos, que abrigava a coleção, foi fundido ao Laboratório de Biologia de Culicídeos do Centro de Pesquisas Renè Rachou, este sob a chefia de Rotraut A. G. B. Consoli, que assumiu a curadoria da Coleção de Culicídeos até 1996. Desde então a coleção permaneceu sem curadoria e inativa, recebendo apenas cuidados básicos de manutenção. Em 2008 foi instituído o fórum das coleções biológicas da Fundação Oswaldo Cruz, com o objetivo de apoiar e revitalizar as coleções espalhadas pelas unidades. Apesar de ainda não credenciada junto ao Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGEN) nem reconhecida pela Fiocruz, foi designada pela diretoria do CPqRR uma curadoria para a Coleção de Culicídeos. Em 15 de maio de 2012 a Coleção de Culicídeos, junto às outras três coleções biológicas do Centro de Pesquisa René Rachou, foi credenciada como instituição fiel depositária de amostras de componente do patrimônio genético junto ao CGEN (056/2012/SECEX/CGEN). Em 29 de agosto de 2013 a Coleção de Culicídeos do CPqRR foi reconhecida como a 30a coleção da Fiocruz, com o nome de Coleção de Mosquitos Neotropicais (CMN-Fiocruz). Apesar de inativa desde 1990, a coleção está com seu acervo físico e biológico conservados, sendo 39.125 espécimes de alados de 414 espécies de 21 gêneros das Subfamílias Anophelinae e Culicinae, representantes das Regiões Neotropical, Neártica, Etiópica e Paleártica, além de genitálias masculinas e femininas, pupas e larvas montadas em lâminas ainda não computadas. Destes espécimes, 386 constituem série-tipo de 77 espécies da Região Neotropical, sendo 18 holótipos, 16 alótipos, 1 neótipo e 358 parátipos.

condições para utilização dos dados

Disponível na 'Política de Acesso a Dados e Informações sobre Coleções Biológicas', Anexo 1 do Manual de Organização das Coleções Biológicas da Fiocruz, que pode ser obtido pela página web das Coleções Biológicas no Portal da Fiocruz.

como citar

Coleção de Mosquitos Neotropicais, CMN-Fiocruz (www.cpqrr.fiocruz.br/pg/colecoes/)

Busca
dataCleaning
email
Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA