english
FUEL - Herbário da Universidade Estadual de Londrina
Universidade Estadual de Londrina
Departamento de Biologia Animal e Vegetal
Londrina - Paraná
networkManager

 
 
acervo   [ consultar ]   [ dataCleaning ]
registros:  total
53375
online
53375
georreferenciados
9041
com imagens
0
software
Brahms7.9.3
online desde
26/09/2006
última atualização
18/08/2017
resumo

O Herbário da Universidade Estadual de Londrina foi iniciado em 1982, no então departamento de Biologia Geral. Em 1985, já contava com um acervo que permitiu seu cadastramento no Index Herbariorum. Posteriormente, em uma readequação da estrutura administrativa, o departamento foi dividido e o Herbário foi incluído no departamento de Biologia Animal e Vegetal, onde estão alocados os docentes da área de botânica e ecologia vegetal. Além das atividades de pesquisa do departamento, o herbário FUEL atende pesquisadores e alunos de graduação e pós-graduação dos cursos de Ciências Biológicas, Agronomia, Zootecnia, Química, Farmácia e Tecnologia de Alimentos e Medicamentos e Veterinária da Universidade, bem como alunos e pesquisadores de diferentes instituições. No herbário FUEL estão mantidas, atualmente, amostras, principalmente sob a forma de material seco, predominando as Angiospermas. Estas amostras provêem, em sua maioria, do Estado do Paraná, principalmente da bacia do rio Tibagi, além de outros municípios no Brasil. A coleção da bacia do rio Tibagi, que corta o estado do Paraná no sentido Sul-Norte, por cerca de 550 km, já incluiu coletas que expandiram a distribuição geográfica conhecida para diferentes espécies e descrição de novas espécies de árvores. A coleção dos tipos nomenclaturais conta com isótipos e parátipos, com as imagens disponibilizadas na rede. Os dados das exsicatas foram inicialmente incluídos em um banco de dados, desenvolvido pelo antigo Núcleo de Processamento de Dados da Universidade, a partir de 1999. O banco de dados foi migrado para o programa BRAHMS (atualmente na versão 7.9.3) e o acervo está todo informatizado, sendo iniciada a confecção de códigos de barra para as amostras. Desde 2006, o herbário está localizado em prédio onde conta com quatro espaços mobiliados e climatizados: acervo, sala de computadores, biblioteca e laboratório de apoio e a sala de preparação (cerca de 38m2). Uma sala em prédio separado com cerca de 15m2 é utilizada para secagem e desinfecção de material botânico, onde estão dispostas estufas para secagem e um freezer. A sala do acervo para exsicatas, com cerca 75m2, acomoda um total de 66 armários de aço. A sala dos computadores (cerca 29m2) conta com computadores, impressoras e escaners em rede. O laboratório, 45m2, conta com lupa e lupa com câmara clara. O acervo bibliográfico (livros, separatas e periódicos de uso coletivo) está incluído em estantes de metal. Em outra sala, fica o laboratório de algas e a coleção de algas, em meio líquido, somam aproximadamente 850 amostras de fitoplâncton e perifiton, sendo a quase totalidade da bacia do rio Tibagi e já informatizadas (Coleção FUEL-Algae) . O herbário conta hoje com os serviços dos docentes do departamento e de um auxiliar técnico que é responsável pela condução de diferentes atividades (apoio de coletas, secagem e montagem de exsicatas, controle sanitário). A informatização, confecção de etiquetas, identificação de amostras e acomodação no acervo são atribuições de bolsistas e alunos de graduação e pós-graduação executam e/ou colaboram nestas tarefas como parte de suas atividades. O herbário FUEL apresenta uma série de intercâmbios de material com mais de 200 instituições nacionais e estrangeiras, além receber de visitas de pesquisadores. Os intercâmbios de material englobam a permuta de duplicatas visando identificação por pesquisadores ou somente incremento no acervo. Amostras da coleção podem ser emprestadas a especialistas, por períodos determinados, através das curadorias dos herbários onde trabalham.

condições para utilização dos dados

Os dados não devem ser usados para fins comerciais. Este herbário procura minimizar a entrada de erros dos dados, entretanto não garantimos que a base de dados esteja livre de erros, tanto na identificação quanto na transcrição dos dados de coleta das amostras

como citar

Herbário da Universidade Estadual de Londrina(http://www.uel.br/ccb/bav/herbario)

Busca
dataCleaning
email
Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA