english
DZSJRP-Chiroptera - Coleção de Quirópteros DZSJRP
Universidade Estadual Paulista - Campus de São José do Rio Preto
Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Departamento de Zoologia e Botânica
São José do Rio Preto - São Paulo
networkManager

 
 
acervo   [ consultar ]   [ dataCleaning ]
registros:  total
11281
online
11281
georreferenciados
11252
com imagens
0
software
MS-Excel
online desde
22/06/2004
última atualização
27/04/2017
resumo

A coleção de Chiroptera vinculada ao Departamento de Zoologia e Botânica do IBILCE- UNESP/São José do Rio Preto, foi iniciada pelo interesse em pesquisa com esses animais, dos professores Doutores Luis Dino Vizzoto e Valdir Antonio Taddei, ambos professores da referida Instituição e presentemente desligados oficialmente. Com o objetivo de aprimorar o conhecimento sobre a biologia, ecologia, taxonomia e citogenética dos morcegos, vários estudos foram desenvolvidos ao longo dos cerca de 30 anos decorridos desde o início do acervo da coleção, que no ano de 1984 foi reconhecida durante o Congresso Nacional de Mastozoologia, como Centro de Referência Para Identificação e Sistemática de Morcegos Brasileiros. Presentemente, os animais colecionados têm sido úteis ao desenvolvimento de projetos na área de taxonomia e, em vista do desenvolvimento de projetos de Pós-Graduação, o acervo têm crescido gradativamente, com a incorporação dos espécimes utilizados nos diferentes estudos (em especial citogenéticos e moleculares). Embora, ainda não oficializado junto ao Conselho de Gestão do Patrimônio Genético, do Ministério do Meio Ambiente, o Laboratório conta também, com um Banco de Tecidos dos espécimes que estão sendo depositados junto a Coleção. A Coleção de Chiroptera tem como responsável direto a Profa. Dra. Eliana Morielle Versute, também curadora da coleção, e conta com o apoio de Pesquisador vinculado ao programa Jovem Pesquisador da FAPESP, o Dr. Renato Gregorin. Ela está ligada diretamente ao Laboratório de Chiroptera, constituído por um prédio térreo com área de cerca de 110m², que representam 5 grandes salas assim constituídas: sala de citogenética, biologia molecular e banco de tecidos (32m²), sala de Coleção (via úmida - 32m²), gabinete docente/curador (12m²), sala de coleção de crânios e identificação (18m²) e sala de preparo de material e dermestário ( 12m²). Os espécimes catalogados estão identificados por etiquetas numeradas presas à uma das suas extremidades e conservados em álcool 70º GL, acondicionados em frascos de vidro com tampas plásticas, com cerca de 3 a 4 litros de capacidade, dispostos nas prateleiras de estantes de aço em sala protegida da luz. Os frascos são numerados para identificação. Os crânios retirados dos exemplares para análise e identificação das espécies são marcados com o número do exemplar e estão acondicionados em frascos de vidro numerados conforme a numeração dos frascos onde encontram-se os exemplares testemunhos. Estes frascos correspondem a Coleção de Crânios, armazenados em armários de parede. Os grupos melhor representados na Coleção de Chiroptera são aqueles com maior abundância e representatividade no Brasil, constituídos por espécies de hábitos alimentares variados como os representantes da família Phyllostomidae (frugívoros, nectarívoros, fitófagos, carnívoros, hematófafos, etc.), e animais insetívoros das famílias Molossidae e Vespertilionidae. Em menor representação estão exemplares de outras seis famílias de Chiroptera. Apesar de encontrarem-se depositados na coleção exemplares provenientes de várias regiões do território brasileiro, a coleção contém em sua maior parte exemplares das regiões Norte, Centro-Oeste, Leste e Sudeste do Brasil.

condições para utilização dos dados

Não especificado

como citar

Não especificado

Busca
dataCleaning
email
Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA